quinta-feira, 31 de março de 2011
















Às vezes se te lembras procurava-te
retinha-te esgotava-te e se te não perdia
era só por haver-te já perdido ao encontrar-te
Nada no fundo tinha que dizer-te
e para ver-te verdadeiramente
e na tua visão me comprazer
indispensável era evitar ter-te
Era tudo tão simples quando te esperava




ruy belo







- difícil é dizer-te que eu sei que há sol. que é primavera. que as flores são paisagens. que a saudade é só um raio. que atravessa o peito e arranha o coração. e sei que todas estas coisas só o são dentro da minha cabeça. ou do meu coração. e que as mãos trémulas e os olhos turvos não encontram nada. e sei que tudo isto é quando eu sou. este poço de água límpida. afastado da margem é fácil imaginar como será o fundo. perto o céu não faz sentido. porque o céu como o conhecemos é longe. e todas as coisas de longe nos parecem outras. difícil é não ter-te dentro das águas. sentires que as nuvens são na pele como a passagem dos dias lentos. que os outros que eu sou no fundo são como fetos. -









1 comentário: